domingo, 14 de fevereiro de 2016

[Filme] A Trilogia do Sangue e Sorvete: Vermelho


Hoje é aniversário de Simon Pegg, um ator cujo trabalho conheci melhor ano passado e acabei adorando. Aproveitando essa data, vou começar a falar de sua Trilogia do Sangue e Sorvete, principais trabalhos de comédia deste autor britânico em parceria com Edgar Wright e Nick Frost!



Trilogia de Sangue e Sorvete (Blood and Ice Cream Trilogy em inglês), conhecida também como Trilogia dos Três Sabores de Cornetto (Three Flavours Cornetto Trilogy em inglês), é uma série de filmes criados por Simon Pegg e Edgar Wright, estrelando Pegg e Nick Frost como os protagonistas, com vários atores britânicos participando em papéis secundários. Os filmes são Shaun of the Dead (Todo Mundo Quase Morto - 2004), uma comédia romântica com zumbis, Hot Fuzz (Chumbo Grosso - 2007), uma comédia e ação de dois amigos policiais e The World's End (Heróis de Ressaca - 2013), envolvendo alienígenas.

Cada um dos três filmes é relacionado a um sabor diferente do sorvete Cornetto - os protagonistas sempre compram um Cornetto do sabor apropriado. O uso das três cores de Cornetto é uma referência à série de filmes Trois couleurs de Krzysztof Kieślowski. 
Todo Mundo Quase Morto representa o sabor morango e a cor vermelha, enquanto Chumbo Grosso é o sabor clássico e cor azul, e Heróis de Ressaca é o sabor menta e a cor verde.

Uma coisa interessante é que boa parte dos atores que aparecem na Trilogia trabalharam juntos em Spaced, uma série britânica de comédia escrita e estrelada por Simon Pegg e Jessica Stevenson (que aparecem em Todo Mundo Quase Morto e é meio que uma "Shaun feminina") e dirigida por Edgar Wright. Nick Frost também estava na série, como amigo do personagem de Tim. Outras conexões entre este filme e Spaced estão nos zumbis: o mensageiro da série aparece com o uniforme característico entre os zumbis que cercam o bar Winchester e a maior parte dos mortos-vivos foram recrutados em fóruns da série.



Agora que tu já sabes o que a WIkipédia diz sobre a Trilogia do Sangue e Sorvete e conhece a conexão com Spaced, vou falar com pouco mais sobre Todo Mundo Quase Morto, o primeiro filme em ordem cronológica!

Nota do IMDB: 8/10
Nota da Cami: 5/5 
Sinopse: Shaun (Simon Pegg) trabalha como vendedor e divide uma casa com Ed (Nick Frost), seu melhor amigo, e Pete (Peter Serafinowicz). Ele costuma ir sempre ao pub local, mas Liz (Kate Ashfield), sua namorada, está cansada de lá. Além disto ela sempre reclama que ele não se separa de Ed, apesar de suas piadas bobas e seu desinteresse em fazer algo útil. Para resolver a questão Shaun aceita marcar um encontro com Liz em outro restaurante, mas se esquece de fazer a reserva. Irritada, ela decide terminar com ele. Shaun, arrasado, se embebeda no seu pub predileto ao lado de Ed, sem notar que as pessoas à sua volta estão se tornando zumbis, devido a um estranho fenômeno.


Este é meu filme favorito do Simon Pegg e uma das razões é bem simples: eu amo zumbis - se tem zumbis, a chance de eu gostar é bem grande (mesmo que tenha um número absurdo de filmes ruins no ramo dos mortos-vivos). No entanto, este filme me conquistou não apenas pelos zumbis, mas por ter ótimos diálogos, um enredo bem escrito, cenas mais sérias e muitas vísceras. Honestamente, é um dos melhores filmes de zumbis dos anos 2000. 
O plano
Enfim, vamos falar um pouco da trama. Como a sinopse nos mostra, Shaun é um cara normal, sem grandes conquistas ou objetivos na vida. Ele mora com seus amigos Ed e Pete, sendo o primeiro um grande preguiçoso que aparentemente só joga vídeo-game e usa/vende maconha - e a namorada de Shaun, Liz, está cansada da mesmice do relacionamento deles e do comportamento de Ed. Apesar de Shaun afirmar que mudaria, Liz termina com ele, o que leva os dois amigos ao pub Winchester para afogar as mágoas. 
Neste meio tempo, vemos algumas pessoas agindo estranhamente, mas passando totalmente desapercebidas pelos personagens - na verdade, eles só percebem que as pessoas estão se tornando zumbis quando são atacados por uma em seu jardim e ela não morre de jeito nenhum (até ela ser atravessada por um cano de ferro, eles achavam que ela estava muito, muito bêbada). Ao ver no noticiário que os mortos estão andando pelas ruas, Shaun elabora um plano de ação para ficarem seguros até que tudo volte ao normal - este à esquerda: pegar o carro, ir para a casa da mãe, pegar a Liz, ir para o Winchester, tomar uma gelada e esperar tudo isso acabar. A história então acompanha a execução desse plano, o que não acontece sem incidentes e momentos cômicos. 

Apesar desse filme ser um rom-zom-com (comédia-romântica de zumbis - adorei essa definição, hauhauhau) e não focar nos sobreviventes buscando suprimentos, Todo Mundo Quase Morto não deve nada aos clássicos e os filmes mais "sérios" do gênero. Aliás, em homenagem ao Dawn of the Dead (Madrugada dos Mortos) de George A. Romero, a palavra "zumbi" não é usada para se referir aos mortos-vivos e, como nos filmes antigos, os zumbis são lentos e burros - o que é raro nas películas mais recentes e eu gosto bastante (se bem que já aceitei os zumbis maratonistas, se estão recém-transformados e vão se deteriorando com o passar do tempo). Não vou dar spoilers, é claro, mas o final do filme é muito divertido e um tanto irônico, o que, na verdade, condiz com o tom de toda a história. 
Então, pessoal, minha sugestão é bem óbvia: se tu gostas de zumbis e filmes divertidos, tu tens que assistir Todo Mundo Quase Morto! 
Para encerrar, duas curiosidades bem legais: (1) a palavra fuck é dita 77 vezes no filme e (2) George Romero gostou tanto deste filme que pediu para Pegg e Wright aparecerem como zumbis em Land of the Dead - e eles aceitaram. 

Um comentário:

  1. Faz tempo que estou querendo assistir "Todo mundo quase morto". Ainda vou assistir.

    Te indiquei para responder uma TAG:
    http://meuslivrosesonhos.blogspot.com.br/2016/02/tag-sisterhood-of-world-blogs-award.html

    Espero que goste!
    Um abraço!

    ResponderExcluir