sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Literatura em Movimento 05: Setembro

Oi, pessoal! Cá estou nos últimos minutos do segundo tempo (como de costume) para trazer o meu texto de setembro do Literatura em Movimento. Lembra do projeto? Ele é organizado pelos blogs Café com LivroDa Literatura e Sacudindo as Palavras.




Este mês, tivemos 3 possíveis temas e eu, ambiciosamente, vou juntar dois neste post:
1- TOP 5 livros nacionais que você precisa ler
2- Por que motivo eu amo meu país

Por que escolhi falar sobre esses dois temas? Porque, pra mim, eles estão interligados. Sejamos honestos: não tenho muitos motivos pra me orgulhar do Brasil, especialmente no cenário atual e no âmbito político, o qual reflete em vários outros aspectos da nossa sociedade. No entanto, há algo que aprendi a amar e estou fazendo meu melhor para defender e divulgar. Este algo é a nossa literatura contemporânea; não tenho nada contra as obras clássicas - até gosto de algumas -, mas estou vestindo a camiseta dos escritores contemporâneos mesmo. Amo nossos escritores e suas obras por todos os desafios que eles têm que enfrentar para terem seus livros publicados (e lidos), por não desistirem ante aos obstáculos, por escreverem mais por amor do que por dinheiro.
Por muitos anos, tive aquele preconceito - que, como todo preconceito, era idiota e um atraso - contra livros brasileiros, especialmente os de literatura fantástica. Por inspiração divina (ou talvez bom senso), acabei comprando alguns livros "pra testar" e eles foram, um a um, quebrando meu preconceito. Graças a André Vianco, Carina Rissi e principalmente Rodrigo de Oliveira, acabei percebendo que não havia fundamento para duvidar da qualidade nacional mais do que da estrangeira. Há livros ruins por aí, é claro, mas não é exclusividade daqueles produzidos no nosso país - o que acontece é que obras internacionais passam por várias "peneiras" até chegar aqui, logo é mais difícil encontrarmos livros de baixa qualidade.
Desde que li "O Vale dos Mortos", do Rodrigo de Oliveira, muita coisa aconteceu. Em abril, fui na Odisseia de Literatura Fantástica aqui em Porto Alegre e saí falida, mas feliz, com os braços cheios de livros de Fantasia escritos por brasileiros. Pouco depois, conheci o CAF (o maravilhoso Clube de Autores de Fantasia) e meu preconceito, se ainda existia, foi totalmente erradicado. Através desse grupo incrível, conheci várias pessoas absurdamente talentosas e criativas e suas obras muito, muito bem escritas - a maior parte desses escritores estão entre os novos parceiros aqui do blog. 
Infelizmente, meu pouco tempo livre e excesso de projetos nos quais me meto, não consegui ler todos os livros que comprei na Odisseia e ao longo desses meses, mas posso fazer um TOP 5 de livros que deveriam ser lidos por todos; na verdade, estou sofrendo aqui pra escolher só cinco! Mas vamos à lista (que  NÃO está em ordem) mesmo assim!

1 - O Homem de Azul e Púrpura, V. M. Gonçalves
Já resenhei este livro lindo aqui no blog, onde explico minuciosamente o porquê de eu ter me apaixonado pela história do mercador Wayra e sua Centopeia. Para aqueles que não leram a minha análise (e não querem ler agora), aqui vai a sinopse:
Há muitos mistérios na Mãe Terra Quatrocantos, um para cada estrela no mando aveludado do Pai Céu. Em Quatrocantos viveram os Povos Primeiros, guerreiros ferozes, artistas brilhantes, piratas vorazes, duendes travessos. Lá viveram sereias e gigantes, grandes bestas, feiticeiros e adivinhos. Lá viveram as mulheres guerreiras, temidas por todos que um dia cruzaram seu caminho. E nenhum homem deparou-se com tantas destas maravilhas quanto Yuruy Wayra, nosso aventureiro, o Andarilho Eterno, o Homem de Azul e Púrpura. Ele teceu a mais linda história desta terra esquecida, teceu-a com seus pés, trilhando seus caminhos. Os dias se passarão, e muito será esquecido, mas sua história, a história do Homem de Azul e Púrpura, esta permanecerá.
Para comprar o livro físico, entre em contato com o autor através da página A Canção de Quatrocantos. Já o e-book, tu podes encontrar aqui e aqui.

2- Lobo de Rua, Janayna Pin.
Ainda não resenhei essa novela maravilhosa aqui no blog porque sou uma pessoa muito enrolada, mas logo o farei. A história impactante e muito bem contada do menino de rua e licantropo Raul é certamente uma das melhores coisas que li esse ano e talvez o melhor livro de lobisomens que conheço, mesmo sendo "apenas" uma novela. Jana é uma escritora incrível e mal posso esperar pelo seu romance em produção, A Galeria Creta
Raul é um​ morador de rua​, um menino invisível ​como tantos outros. ​C​omo se sua desgraça​ não fosse suficiente, ​o garoto​​​ descobre-se portador da licantropia, maldição que o transforma em fera sempre que a lua cheia ocupa o céu. Tito Agnelli​ é um velho imigrante italiano.​ ​Ele ​não compartilha do abandono de Raul, mas conhece muito bem a sensação de ser rasgado por dentr​o ​pela coisa vil​ e selvagem​ que se abriga nele.​ C​ompadecido com o sofrimento do recém-transformado, Tito ​​acolhe Raul ​e reabre a Alcateia de São Paulo, extinta até então por falta de ​lupinos residentes na Pauliceia. Depois de décadas de contaminação, ​Tito conhece cada detalhe da maldição​ com que precisam lidar​.​ ​E conhece também a Galeria Creta, um lugar​ em São Paulo onde​, na lua cheia,​​ há sempre um abrigo seguro​ para ele e para outros dos seus. Basta pagar o preço. 
O e-book pode ser encontrado na Amazon por menos de R$5,00!! Para comprar o livro físico, aproveite a promoção de lançamento e entre em contato com a autora através da página A Galeria Creta ou envie um e-mail para galeriacreta@gmail.com! 

3- A Liga dos Artesãos, Lauro Kociuba.
Também resenhei este livro aqui no blog, expressando todo meu entusiasmo com a ideia de anões vivendo entre os humanos - ou melhor, sob os curitibanos humanos. Além de mostrar doses gigantes de criatividade e talento, Lauro nos traz uma obra totalmente crível, e isso, como eu disse na resenha, é o que mais gostei no livro. 

O que você sabe sobre elfos, orcs e humanos? Abra a mente. Estou abrindo as portas de um mundo novo para você, e é bom começar a rever seus conceitos. Suas certezas são questionáveis, o inesperado sempre é certo e a dúvida não é uma opção.
Elfos, anões, orcs, trolls, dragões, wargs… E se eles existiram de verdade? E se tudo começou a desaparecer quando a Era dos Homens teve início? E se, ainda hoje, houver remanescentes desses seres entre nós?
Alvores é uma ideia de realidade alternativa, com inspiração em Neil Gaiman e sua conexões de fantasia e o mundo real. A ideia é explorar o nosso mundo mesclando com ficção fantástica, onde exitem cidades subterrâneas sob as capitais brasileiras; elfos que vivem ocultos entre os homens; descendentes de raças lutando entre si e criaturas fantásticas surgindo e desaparecendo em meio a pontos turísticos.
Todo esse universo é chamado de Alvores, os seres que surgiram na alvorada do mundo.
Este primeiro volume é ambientado em Curitiba. Acompanhamos Tales, um filho de encantados, desvendando sua história envolta a uma trama secular: a luta pela sobrevivência de uma raça. Entre batalhas dos descendentes de alvores, a descoberta de existência de uma cidade inteira sob seus pés e a verdade por trás de vários fatos.
O leitor irá, junto com o protagonista, conhecer máquinas de guerra incríveis, personagens com habilidades curiosas, tramas e mistérios ocorrendo nas praças, terminais ou mesmo nas ruas onde passamos diariamente. De modo gradativo e embasado, trabalho para estreitar a fronteira entre a realidade e a fantasia no livro. 

Para comprar o livro físico, entre em contato com o escritor através da página Alvores e o e-book está à venda no site da Amazon.

4- O Vale dos Mortos, Rodrigo de Oliveira.
Eu citei no começo deste post que este foi o livro que mais ajudou a quebrar meu preconceito literário e, na resenha, falei um pouco sobre os motivos de ter gostado tanto. Resumidamente, este livro traz uma excelente versão de uma Apocalipse zumbi, com homenagens aos filmes clássicos do gênero, mas ainda muito original. 
Estamos em 2017 ... Cientistas descobrem um planeta vermelho em rota de colisão com a Terra. Depois de muito pânico nos quatro cantos do mundo, eles asseguram que o astro passaria a uma distância segura. E todos ficam tranquilos acreditando que nada iria acontecer...
Uma profecia esquecida do Apocalipse, reiterada por outros profetas modernos, ressurge...
"Então 2/3 de todas as pessoas no Planeta são acometidas por uma estranha doença... E abriu-se o poço do abismo, de onde saíram seres como gafanhotos com poderes de escorpiões. E os homens buscarão a morte e a morte fugirá deles." Apocalipse 9:2-6.
Então um grupo luta por sobreviver num mundo dominado pelo mal.
Com passagens por Brasília, Estados Unidos, China e França, O Vale dos Mortos baseia-se na profecia de que um planeta intruso ao sistema solar, ao raspar por nossa orbita, fatalmente desencadearia a transformação de grande parte da humanidade, não havendo lugar seguro, ambientes sem infecção, pois ela ocorreria simplesmente pela aproximação do astro.
Pegos de surpresa, e tentando entender o que acontecia enquanto buscavam se salvar, um casal e seus filhos iniciam uma jornada para restabelecer alguma condição de vida no que restou de seu próprio mundo.
Uma história com muita ação, suspense, que vai deixar você eletrizado.
Tu podes comprar o livro físico em várias grandes livrarias (Amazon, Americanas, Saraiva, Submarino, Cultura), assim como o e-book (Amazon e Saraiva, por exemplo).

5 - Cidades-mortas, Dêner B. Lopes.
No mesmo formato de Jogos Vorazes e Battle Royale, este livro traz para o Brasil (aqui conhecido como "Lisarb") o cenário distópico e violento onde jovens são forçados a lutar uns contra os outros, contra o lugar em que são jogados e contra os robôs que o governo gentilmente providencia. Habilmente, o autor aborda temas como preconceito, diferença social e drogas. Ainda não escrevi a resenha para o blog, mas já postei uma no Indique um Livro
Cada uma das 10 Cidades da nação de Lisarb escolherá, por meio de voto dos habitantes, um casal de jovens entre 15 e 18 anos para o Festival das Cidades-Mortas.
Os 20 Eleitos serão encaminhados para a Cidade-Morta selecionada, onde serão confinados e terão que escapar dos soldados-robôs que irão se dispersar pelo local, com claras intenções de morte lenta.
Todos aqueles que conseguirem sobreviver até o final das duas semanas de confinamento, terão a honra de fazer dois pedidos, possíveis e aprovados pelo Presidente, é claro.
As seleções começarão no dia primeiro do último mês do ano e o Festival terá início no dia terceiro após os Eleitos serem anunciados.
O confinamento será acompanhado por toda Lisarb por meio da TV aberta durante todos os dias do Festival, ao fim das noites.
Aos Eleitos, com toda a verdade, desejamos sorte e, acima de tudo, coragem.
David Neil e Boris Alvimar (Diretor da Emissora RGS-14 e Presidente da República)
Em seu romance de estreia, Dêner B. Lopes traz ao leitor mais que um Jovem-Adulto distópico. Mostra de uma maneira fria e imparcial até onde as pessoas vão para conseguir impôr suas opiniões e o que fazem para conseguir sobreviver a uma caçada mortal.
O livro físico pode ser encontrado em grandes livrarias como a Cultura, a Martins Fontes e a Livraria da Travessa

5.5 - Sentinela, Thais Lopes.
Sim, eu sei. É um TOP 5, logo deveria ter apenas 5 livros mencionados, mas eu não poderia deixar de mencionar o primeiro romance da série Crônicas de Táiran. Foi o primeiro livro "com um pé" na Ficção Científica que eu li (que eu me lembre, pelo menos) e foi uma experiência muito, muito boa! Sendo uma Space Opera (ou, talvez, "fantasia científica" - são dois termos distintos para definir coisas muito parecidas), o livro traz vários elementos mais comum para uma amante da Fantasia como eu, além das viagens interplanetárias e civilizações não-terrestres. A resenha de Sentinela está a caminho!
Desde sua criação, ninguém atravessara os portões do Reino C'erit. Ninguém sabia o que acontecia por trás deles, ou qual havia sido o destino das pessoas que, tempos atrás, haviam se isolado ali para construir um novo lar. Por isto, até mesmo os Guardiões se surpreendem com a chegada de uma mensagem.
Quando a Arqui-Guardiã Aíla é enviada em resposta ao chamado, ela não faz ideia do que vai encontrar. Mas nem mesmo uma vida inteira na cidade-fortaleza dos Guardiões poderia prepará-la para o que precisará enfrentar: traição, uma nova ameaça à Ordem, e um homem capaz de abalá-la.
O e-book está à venda na Amazon, e o livro físico pode ser encomendado no site da autora em dois kits diferentes (kit 1 e kit 2).


E aí? Quais livros fariam parte do teu TOP 5 de livros nacionais?

4 comentários:

  1. Oi, Camila!! Adorei seu texto e suas indicações. Eu nunca tive preconceito com a nossa literatura, mas antes do blog, eu só conhecia os autores mais famosos. Poder ter acesso a outros autores (tão bons quanto os famosos, mas que não são reconhecidos) foi realmente uma das melhores coisas que o blog me proporcionou.
    Fiquei bastante interessada nesse "O Vale dos Mortos". Parece ser o tipo de leitura que eu curto.
    Já vi que minha lista de desejados vai explodir nesse mês!! Hahaha

    Beijos.
    Café com Livro

    ResponderExcluir
  2. Bem legal seu texto e achei bem corajoso escolher dois temas tão distintos. Das indicações algumas já conheço outras desejo fortemente como o Vale dos Mortos e Cidades Mortas.
    O mais legal é como você conseguiu realmente interligar os temas, mesmo eu achando que era impossivel, sobre preconceito, fui como você por muito tempo, e se não sou mais é graças ao meu blog, que embora seja novo e quase sempre desatualizado me permitiu conhecer uma gama de novos escritores, dos quais me tornei fã de muitos. É obvio que temos autores dignos de renome, e talvez até melhor que muitos internacionais publicados por aqui, mas também há aqueles, vitimas das pretensas editoras que acabam jogando no mercado livros com pessima revisão e até mesmo historia, e isso prejudica.
    Mas acredito que um dia não somente os autores nacionais encontraram o brilho que merecem como também nosso cenário politico, como citado por você, tenho essa esperança e acredito neste futuro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Camilla!
    Adorei seu texto, você conseguiu integrar 2 temas distintos em um só, sem se perder ou perder o tema de vista. Puxa!
    Das indicações, conheço apenas o da Thaís Lopes, mas adorei todos os outros. Concordo com você que a literatura nacional está crescendo e temos autores muito bons c histórias maravilhosas!
    Sucesso pra vc!
    Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curtiu?

    ResponderExcluir
  4. Oi, Camila!
    Fiquei com muita vontade de ler os livros que tu indicaste! Eu sempre li bastante livros de literatura brasileira e, na verdade, leio muito mais que a estrangeira. Mas como trabalho na área, sempre li autores do cânone e desde a criação do blog tenho lido autores contemporâneos.
    Parabéns pelo texto!
    Beijo.
    Karina
    http://daliteratura.com.br

    ResponderExcluir