quarta-feira, 15 de julho de 2015

Conhecendo os escritores nacionais 02: Marcelly Nascimento

Oi, pessoal! A segunda entrevista nessa série que espero que seja interminável é com uma guria de quem eu gosto muito - e, claro, gosto muito também do que ela escreve, seja pro Me Livrando ou o que já li de seu Thorn. Além dos talentos como escritora e resenhista, ela também é um amor de pessoa, sempre disposta a ajudar os outros. Aliás, sabe esse layout bonitão? É, foi ela que configurou pra mim!! É ou não é um amor?

Pois bem, sem mais enrolação! Fiquem agora com a entrevista com a fofa Marcelly Nascimento (que NÃO lê romance!)! 


Camila: Para começar, que tal uma mini-autobiografia? Nada de mais: nome, idade, aniversário (quem sabe rolam uns presentes! ^^), cidade, formação... Enfim, o que você achar relevante!
Marcelly: Lá vamos nós: meu nome é Marcelly Nascimento na certidão, mas eu gosto de Celly. Tenho 19 anos, nasci em 22 de fevereiro (e a título de curiosidade, meu irmão também – no exato dia em que completei 6 anos!), nasci e moro em Belém e no momento estou na metade do curso de bacharelado em Direito; provavelmente vou atuar na Vara da Família. Acho que é isso. Eu também poderia dizer que sou fã da Disney, tanto dos filmes clássicos quanto a Pixar, e também que sou louca por livros considerados infantis – Como Treinar Seu Dragão, Querido Diário Otário e Goosebumps, só pra começar.


A LEITORA

C: Quais são seus autores favoritos (nacionais e/ou estrangeiros)?
M: O favorito, primeiro lugar no pódio, sempre será do Patrick Rothfuss. Depois temos George R.R. Martin, J.K. Rowling, Rick Riordan, Paul Hoffman, Joseph Delaney e Derek Landy. Sobre autores nacionais fico com Lauro Kociuba e Charles William Krüger.


C: Lembras qual foi o livro que te fez gostar de ler?
M: Harry Potter, com certeza! Emprestei o primeiro livro, acho que tinha dez anos. Mas então só li a série e deixei os livros meio de lado, até que dois anos depois conheci Percy Jackson e li uma tradução de fã pra fã antes dos livros saírem no Brasil. Nesse momento realmente peguei gosto pela leitura e também por e-books.


C: Qual é o gênero literário que tu lês com mais frequência?
M: Fantasia épica, sem a menor sombra de dúvidas! Mesmo que me confundam com leitora de Fallen e Crepúsculo ):

C: Existe algum livro que tu aches tão incrível que tu gostarias de ter escrito?
M: O Nome do Vento! Paixão eterna por essa obra-prima.
  

A AUTORA

C: O que te motivou a começar a escrever?
M: Fiquei deslumbrada com os mundos fantásticos que via sendo criados e me perguntei: “por que não posso fazer também?”. Cheguei à conclusão de que podia e fiz.
C: O que tu mais gostas de escrever (contos, poemas, horror, mistério...)?
M: Romances fantásticos e épicos (por favor, não confunda romance com histórias de amor, não falo nesse sentido), sem dúvida. Escrevo contos, mas definitivamente não é meu forte. Algumas pessoas gostam, mas eu não curto muito escrevê-los.

C: Quais são seus trabalhos já publicados?
M: Até agora só um conto, Thor Punho de Ferro, sob o pseudônimo de Caroline Wicker. Está na antologia Além das Cruzadas da editora Andross.


C: A propósito, como surgiu a oportunidade da primeira publicação?
M: Eu vi o anúncio da seleção e mandei o conto. Acho que ele estava guardado há um ano ou mais. Um dia postei no meu blog e as pessoas aparentemente amaram! Ela mandou a notícia da seleção e quando enviei não tive qualquer pretensão de passar.... E não é que passei? Hahhaah

C: Além da publicação em meio físico e tradicional, publicas teus trabalhos em outros lugares (como Widbook, Wattpad, e-book independente pela Amazon)?
M: Tenho publicado o começo de um livro que estou escrevendo no Wattpad, mas ainda não o divulguei muito e sinceramente ainda não quero divulga-lo. Quando chegar na metade começo a investir numa divulgação mais pesada!

C: Que projetos tens em mente para os próximos meses?
M: Terminar meu livro atual. Por enquanto é só isso mesmo.

C: E, finalmente, qual é o teu conselho para quem gosta de escrever e quer seguir esse caminho? 
M: Você vai se sentir desmotivado quando publicar algo e não receber o retorno – mas isso só porque criou expectativas. Você vai se decepcionar se enviar um original ou conto para editora esperando aprovação e não for aprovado – de novo, expectativas. Você vai ficar triste se pedir para alguém ler sua obra e a pessoa criticar – ué, mais expectativa? O segredo é: escreva para si mesmo. Não crie qualquer expectativa. Escreva até terminar, em seguida entre na luta para publicar. Não pense em agradar a todos, nem mesmo grandes nomes da literatura o fazem! E, por fim, o mais importante: saiba receber críticas construtivas com humildade, pois na grande maioria das vezes as pessoas só querem ajuda-lo.


E aí, pessoal? Gostaram? Espero que sim, porque teremos mais entrevistas pela frente - e veremos muito mais da srta. Celly por aí! Que venha Thorn, o sétimo filho de um sétimo filho! 

6 comentários:

  1. Oie, Mila!
    Obrigada pelo carinho <3 Foi uma honra ser entrevistada pelo The Nerd Bubble, administrado por uma amiga tão amorzinho quanto você. Que venha Thorn - e Melina também!

    Com carinho,
    Celly.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, obrigada, Celly!! Espero postar logo a resenha do Thorn aqui :D
      A Melina está vindo também, a passos lentos, mas decididos o/

      Volte sempre ;)

      (E minha mãe comentou o post! huahauhauhau)

      Excluir
  2. Oi, Camila!
    Como uma já fã da Celly, gostei muito de ler uma entrevista dela. Essa guria transpira fantasia épica mesmo, e foi a responsável por várias das minhas mais recentes leituras haha E eu fico feliz demais pelo Charles figurar entre os seus autores nacionais preferidos, já que fui eu quem pressionou a Celly a ler seu livro haha
    Enfim, um grande beijo :)

    ResponderExcluir
  3. Amei! Tão novinha e já bem decidida! Meus parabéns! Sucesso!

    ResponderExcluir