quinta-feira, 25 de junho de 2015

Literatura em Movimento 02 - Junho


Oi, pessoal! Estou aqui, no último dia do prazo das postagens do mês de junho, para trazer o meu post. Demorei a postar pois estava esperando uma inspiração divina, já que o tema - apesar de muito pertinente -, me deixou bem perdida. Mas acabei conseguindo escrever alguma coisa, só pra não deixar o mês do amor passar em branco. Vamos, então, ao tema no mês!

Ok, antes de ir ao texto, gostaria de explicar meus motivos pra quase não ter postado nada esse mês. Primeiro, não tenho uma paixão literária. Não me entenda mal, há vários personagens que eu amo de paixão, mas todos eles já têm seu alguém especial, logo não queria "separá-los". Segundo, não sou das melhores descrevendo cenas românticas. Terceiro, precisava usar um vocabulário leve e permitido pra todos os públicos, o que limitava um pouquinho minha imaginação sórdida... 
Depois de muito pensar, acabei achando um personagem que eu amo e que não tem uma namorada (bem, não exatamente): Damian, um dos vampiros da série Anita Blake: Vampire Hunter, da Laurell K. Hamilton. Ele é lindão, viking, ruivo e meio solitário. 
Então, sem mais delongas, fiquem com o meu textinho que não foi tão romântico assim.

Damian estava no auge de sua beleza, representando seu papel de guerreiro viking sexy em seu número de dança. Céus, como ele era lindo... Aqueles cabelos vermelho-vivo em contraste com a pele branca e a roupa de couro negro sempre era de tirar o fôlego. Seu número estava perto do fim, e ele veio se aproximando mais da platéia e, por um acaso do destino, olhou pra mim. Eu suspirei e sorri pra ele, na esperança de que ele realmente me notasse. Acho que vi um discreto sorriso em seus lábios perfeitos enquanto ele me olhava dos pés à cabeça, demorando um pouquinho mais no meu pescoço à mostra.
Não me entendam mal – não sou daquelas jovens histéricas que leram Crepúsculo e sonham em achar um “vampiro encantado (e purpurinado)” que me transforme em vampira para vivermos a eternidade juntos. Não sou assim... Mas Damian é um caso à parte. Acompanho sua história desde que vim para St. Louis e fui apresentada aos líderes da minha espécie na região. A Nimir-ra (“rainha”) dos wereleopards (como eu), Anita Blake, é uma mulher incrível com certeza, mas está profundamente ligada ao mundo sobrenatural da cidade, inclusive aos vampiros. Damian, pelo que eu pude entender, está conectado a ela por algum tipo de magia necromante-vampírica, mas ela não dá a devida atenção a ele. Imagino que seja porque ela realmente não tem muito tempo pra dividir entre seus homens e ainda lutar contra seres malignos, ou talvez porque ela odeia a ideia de que há um vampiro que depende dela pra “viver”... Seja como for, posso sentir que Damian ressente essa distância. Por ter sido abandonada e esquecida também, consigo identificar aquele olhar perdido, triste. Foi esse olhar que me fez esquecer meu instinto natural e vir a essa boate tentar me fazer notar – ele me vira na casa da Anita antes, mas não me notara. Quem sabe hoje isso mude.
Ele dançou com uma, duas, três mulheres e finalmente chegou até mim.
- Te conheço, não? – ele perguntou em voz baixa, com seu corpo próximo ao meu.
- Já nos vimos algumas vezes na casa da Anita – respondi. Acho que fiquei vermelha quando sua mão encostou na minha cintura e me puxou mais pra perto.
- Ah, sim, a leopardo brasileira. Lembrei agora. – Ele sorriu e aproximou os lábios do meu pescoço. – E o que faz aqui, gatinha?
- Vim te ver. – Agora eu estava definitivamente vermelha, mas não podia ceder à timidez e voltar atrás. – Gostaria de passar um tempo com você.
Damian riu e minha autoconfiança foi totalmente abalada, mas quando ele se afastou um pouco, pude ver interesse e uma ponta de curiosidade em seu olhar.
- Por quê? –  ele perguntou.
- Porque acho que você merece mais atenção do que recebe... Porque também sei como é se sentir sozinho, deixado de lado por quem mais importa. – Ok, ou eu falava agora, ou não falaria nunca mais. – Porque meu coração acelera cada vez que mencionam seu nome. – Suspirei, reunindo coragem pra terminar. – Porque me apaixonei por você.
Ele se afastou bem na hora que a música terminou. Parecendo levemente surpreso, ele voltou ao centro da pista, agradeceu os aplausos e desapareceu para os bastidores. Eu fiquei ali, com cara de boba e um horrível aperto no peito. Que idiota que eu fui! Por que um vampiro como ele me daria bola? Ele tem mais de mil anos e, pelo que ouvi falar, viveu horrores nas mãos de sua criadora. Provavelmente deve estar pouco se importando com romance, a essa altura. Aquele tristeza que eu via em seu olhar deve ser consequência das torturas que viveu antes, não por se sentir sozinho. Que ingênua que eu fui! Passei um papel ridículo por achar que podia entender um vampiro! Idiota, besta...
- Senhorita? – Alguém cutucou meu ombro e me assustei. Estava pronta para mostrar as garras ao ser que estava me atacando quando percebi que era apenas uma garçonete da boate. – Oi! O senhor Damian pediu que a chamasse para o seu camarim. Deseja me acompanhar até lá?
Devo ter ficado com uma cara muito idiota, pois a jovem parecia estar se segurando para não rir. Mas eu estava realmente confusa. O que ele poderia querer comigo depois do papel de boba que eu fiz? Não iria até lá só pra ele rir de mim, ainda tenho um pouco de orgulho, certo?
No entanto, quando dei por mim, eu estava assentindo e acompanhando a garçonete por entre as mesas e pessoas dançando até o camarim do vampiro. Cruzei com outros conhecidos no caminho, mas não tenho certeza nem se os cumprimentei. Paramos em frente a uma porta de madeira simples e a moça bateu duas vezes na porta; com um breve sorriso, ela deu meia volta e me deixou ali sozinha. Será que eu devia sair dali também?
Antes que eu pudesse decidir, a porta foi aberta, revelando a beleza cheia de contrastes de Damian. Ficamos alguns segundos nos encarando até que ele deu um passo para o lado, abrindo passagem para mim:
- Entre, gatinha, e me mostre quanta atenção eu mereço. – Havia uma tristeza em sua voz, mas também um tom de provocação.
Eu dei um pequeno sorriso, balançando a cabeça:
- Vou precisar de uma noite inteira para mostrar o que quero. – Dei um passo à frente, chegando perto dele, encarando aqueles olhos verde-esmeralda. – Talvez mais que isso.
Para minha surpresa, ele me puxou para dentro de seu camarim, juntando meu corpo ao dele.
- Já te concedi esta noite... Continue assim e posso pensar em te conceder mais. – Damian sorriu levemente pra mim e eu pra ele enquanto fechava a porta.
A partir daqui, a noite pertence apenas a nós dois. 

BÔNUS!!!!
Contei para uma aluna minha sobre esse texto que eu tinha que escrever e estava sem ideias. Ela escreveu um e eu prometi postar junto com a minha. Assim sendo, com vocês: "Como conquistar o Bob Esponja", escrito por Luísa Tedesco.
 Você vê o Bob Esponja na rua e você pergunta:
- Para onde você está indo?
- Pro meu trabalho no Siri Cascudo!!! Estou pronto!
- Ah, onde fica o Siri Cascudo? Você pode me levar lá?
- Claro.
Então, no caminho, você e o Bob Esponja conversam sobre heróis (Homem-Sereia e Mexilhãozinho) e sobre caçar águas-vivas:
- Nossa, eu não sabia que meninas caçavam água viva.
- ...
- Você quer ir caçar águas-vivas comigo hoje depois do trabalho?
- Quero!
Os olhinhos de Bob se iluminam - acho que ele está gamadão.
À tarde, vocês se encontram para caçar águas-vivas. Você e Bob caçam milhares de águas-vivas até a noite. Então, com sono, vocês se deitam e olham as estrelas:
Bob: O céu está tão... céu.
Você: É... 
- Mas não é o céu que importa.
- O que importa são as... águas-vivas?
- Não. É você
Bob Esponja te beija e vocês ficam se pegando por quinze minutos até dormirem. Mas você acorda antes (3 a.m.) e e vai embora. Quando ele acorda e não te vê, ele passa o dia pensando em ti. E você nele.
Então Bob Esponja te manda uma carta:
"Quer vir até o Siri Cascudo comer um hambúrguer de siri comigo hoje na hora do almoço?"
Você então vai até lá e ele está te esperando:
bob: Então... lembra de ontem?
vc: Lembro... (você fica com as bochechas vermelhas, mas é fofo)
- Então...tem uma coisa que eu preciso te dizer...
- O quê? 
- Bem... eu sei que a gente se conhece há pouco tempo mas... eu te amo. Você quer ser minha namorada?
- Quero!

20 comentários:

  1. Oi Camila,

    Parabéns pela sua história, já é difícil escolher um personagem preferido e se vc não tem nenhum ai complica de vez, fica ainda mais difícil escrever.

    A história da Luísa também ficou legal, quem diria, alguém se apaixonar pelo Bob esponja...heheheheheeee

    Beijokas da Quel
    http://literaleitura2013.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Personagens favoritos, eu tenho muitos, mas geralmente os shippo com alguém já, então não me sentiria bem "atrapalhando o casal", huahauhauahu

      Obrigada pelo comentário e volte sempre o/

      Bjs da Cami

      Excluir
  2. Ficou muito legal a sua história! Gostei muito do enredo. Parabéns!

    E a história da sua aluna ficou uma graça.

    http://blogquerida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Larissa!! Fico feliz que tenha gostado!

      Volte sempre o/

      Bjs da Cami

      Excluir
  3. Adorei as duas postagens! E viva o amor!

    ResponderExcluir
  4. Caraca não consigo parar de rir do texto da sua aluna, não por acha-lo hilário ou algo do tipo, mas é tão ingenuo e bonitinho, que te cativa facilmente.
    O seu texto também não fica longe, uma linda narrativa. Encantadora pra ser mais exato, não conheço o personagem ou seu livro de origem, mas vejo em suas palavras que a motivos para gostar dele.
    Achei genial a forma como se colocou na história lincando sua existência a da protagonista, e as descrições, Deus, ficaram sensacionais.

    Julielton Souza - Dialética Proposital

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelos elogios, Julielton!! Estou muito feliz por ter gostado!
      Também ri e adorei a história da Luísa! Ela é muito criativa!

      Obrigada de novo e volte sempre :D

      Bjs da Cami

      Excluir
  5. A cada novo texto fico surpresa com quantas escritoras, e escritores maravilhosos temos nesse grupo. Impressionada com sua história! Você escreve muito bem, e conseguiu me transportar para a sua história. Parabéns ficou ótimo! A história da sua aluna também ficou uma fofura! *o* Mil beijokas.
    entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada!! Não imagina como estou feliz com esses elogios, já que foi um texto meio difícil de ser escrito!
      Obrigada mesmo, e volte sempre o/

      Bjs da Cami

      Excluir
  6. Sua narrativa foi sexy sem ser vulgar! Damian, um vampiro ruivo...já me apaixonei!
    Quando eu li que o texto de sua aluna seria sobre o Bob Esponja, eu ri! Ficou muito bonitinho, e não deixe que ela saiba, mas eu odeio esse desenho, rs.
    Beijos.

    www.historiamuda.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! O Damian é um personagem incrível, mas um tanto sub-utilizado na série - os meus favoritos são frequentemente meio ignorados :(
      Ela não vai ficar magoada; o texto dela foi mais uma brincadeira mesmo! Mas ficou bom, né? ^^

      Valeu mesmo pelos elogios e volte sempre!!

      Bjs da Cami

      Excluir
  7. Ownnn.... Os dois textos ficaram uma graça!!
    Eu bem sei como é gostar de tantos personagens que não consegue escolher um só, e como dói atrapalhar o destino original dados pelos seus autores... Mas, desafio dado, é desafio feito! E vc fez muito bem!
    continue incentivando seus alunos, ambas de parabéns!
    Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curtiu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atrapalhar os casais foi o que mais pesou, mas aos 45 do segundo tempo consegui encontrar um personagem que eu adoro e que eu não shippo com ninguém além da própria Anita, mas ela já tem homens demais,então não me senti tão culpada!

      Obrigada pelos elogios e volte sempre o/

      Bjs da Cami

      Excluir
  8. Há...pois eu não me importo e de roubar o namorado da mocinha não kkkkkk no meu conto eu furei o olho da personagem despretensiosamente... há curti demais a sua história... tem sua pitada quente... e gostei muito do incentivo que deu a sua aluna... eu particularmente incentivo a minha filha escrever bastante... eu acho que essa ação tem uma proposta interessante de fazer a nossa imaginação ir além... xero!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Hum, esse vampiro é de matar hein, rsrs, ruivo, olhos verde , seduzente... excelente história Cami, a cada texto que leio percebo que não entendi bem o que foi proposto... pretendo melhorar no próximo mes.
    Amantes de Jane Austen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Sim, esse vampiro é o máximo! Pena que não aparece tanto quanto eu gostaria na série :(
      Aposto que o teu próximo texto vai ser o melhor :D

      Volte sempre ^^

      Bjs da Cami

      Excluir
  10. Vampiros são seres fascinantes, impossível não amá-los. Adorei o personagem que você escolheu e o texto ficou muito bom, mas o texto de sua aluna roubou a cena rsrsrs que coisa mais fofa.
    Beijão
    Lilica - O maravilhoso mundo da leitura

    ResponderExcluir
  11. : ) ebaaa!
    ass: paçoquinha (vc sabe quem kkk)

    ResponderExcluir
  12. Oi, Camila!
    Adorei a tua escolha e mesmo tu achando que não possui um amor literário, não foi o que pareceu aí na cena, viu? hehehe... :P
    E o texto da tua aluna está muito fofo! O Bob Esponja é sensacional!
    Beijo.
    Ana Karina

    ResponderExcluir